13 março, 2011

Brasileira ajuda a desvendar as bases neurológicas e genéticas do olfato


Os mistérios do cheiro 
Nem é preciso estar diante do forno para saber qual a sobremesa do jantar. Da massa da torta se desprendem moléculas de odor que se espalham pelo ar, penetram nas narinas e atingem um grupo especial de células na porção mais interna do nariz, próximo à base do crânio, disparando mensagens químicas que permitem ao cérebro decifrar o sabor da torta: maçã, com um toque de canela. Sem olfato não há prazer em comer: o repertório da língua se limita a salgado, doce, amargo, azedo e umami – o gosto do monoglutamato de sódio, o aji-no-moto. A capacidade de perceber aromas é o que dá sentido aos temperos e ervas aromáticas e que permite distinguir entre um suco de laranja e um de abacaxi. Nos últimos anos começou-se a conhecer com mais detalhes como o sistema olfativo decifra os odores e permite, por exemplo, que se distinga, apenas pelo aroma, uma rosa de um jasmim ou um copo de leite bom de outro estragado. Parte dessas descobertas se deve ao trabalho da bioquímica Bettina Malnic, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP). 



Anatomia do olfato
Moléculas de cheiro se desprendem da flor e penetram no nariz; 2. Essas moléculas aderem às ramificações dos neurônios olfativos, que forram o fundo da cavidade nasal; 3. Cada neurônio manda uma projeção para o bulbo olfativo (em amarelo).  Resta agora descobrir como a informação vai do bulbo a  diferentes regiões do cérebro que interpretam os cheiros.




O código dos aromas
As moléculas de odor são como estrelas de pontas coloridas. Cada extremidade se conecta apenas a um receptor olfativo específico — amarelo com amarelo, vermelho com vermelho — no fundo do nariz. Estrelas multicoloridas podem, assim, se encaixar em diversos receptores, e em cada tipo de receptor podem aportar estrelas distintas, desde que pelo menos uma das pontas seja da cor adequada. 


Leitura recomendada - Livro escrito pela colaboradora da pesquisa  Bettina Malnic

Ver matéria completa no site:
http://revistapesquisa.fapesp.br/?art=3741&bd=1&pg=1&lg=


2 comentários:

Adriana disse...

Olá Vera!!com grande prazer aqui estou me deliciando com estas informações.Como somos complexos!não?A beleza dos nossos sentidos!Mudando de assunto mas não muito,seria possível saber os preços das essencias estoque de Bach? Sou floral terapeuta e quero compra-las.Se possível mande um email,adrianarodrigues.floralterapia@gmail.com. Com gratidão,bjs.Adriana Rodrigues.

vera_oneill@novafloressencia.com.br disse...

Querida Adrina,
Adorei receber sua msg, tanto carinho em suas palavras.Quanto ao seu pedido, fica tranquila que já está sendo providenciado, vc irá receber em breve a lista de preço dos florais de Bach. Seja sempre muito bem vinda aqui e em nossa empresa tb. Bjs e abraço fraterno.
Vera O´Neill