06 janeiro, 2012

Aromaterapia - Feminino Sagrado e o Jasmim.

 Suas flores têm sido usadas por muito tempo, como ingrediente de poção do amor.


 Na Índia, o Jasmim é considerado uma flor sagrada, conhecida como “luz da lua no jardim” - é tradicionalmente tecido nas guirlandas dos noivos e serve de ornamento aromático às mulheres, que têm especial preferência por seu óleo, usado nos cabelos. Por séculos, o Jasmim tem sido associado com feminidade, amor e fertilidade, na tradição hindu e muçulmana.

O “Rei das Flores”, ou a “Rainha da Noite” tem uma longa associação com o Amor e com o ato de fazer amor. Tem sido reverenciado no Oriente desde muito tempo, por suas propriedades medicinais e na produção de perfumes.

O deus hindu do amor, Kama - aquele que se assemelha aos deuses do amor para os gregos Eros e Cupido para os romanos - é representado com um arco e, suas flechas contêm flores de Jasmim em suas pontas, para penetrar o coração das pessoas e despertar o desejo.
Dioscorides, médico grego do século I, dizia que os persas usavam o Jasmim para perfumar o ar durante os eventos de seus banquetes.
Juntamente com a Rosa, sempre aparecia nos poemas Sufi, como um símbolo de amor e busca espiritual. Na China, o Jasmim é associado à doçura do feminino e à beleza.



O Jasmim cresce ao longo do Rio Nilo, no Egito - é uma flor dedicada a deusa Isis, deusa mãe egípcia, aquela que detem os segredos da fertilidade, magia e da cura.


Historicamente o Jasmim tem sido  associado com a Lua, consequentemente  com a deusa Ártemis,  a deusa da lua para os gregos.

O arquétipo da Mulher Ártemis nos dias modernos.
A mulher Ártemis é uma mulher que pertence a si mesma - é a manifestação do feminino seguro. Confia em seus próprios valores, não se deixa abalar facilmente por nada. Ela é hábil em avaliar as pessoas e seus motivos; por ter motivações claras e bem orientadas, rapidamente reconhece aqueles que têm afinidades com ela e os que não têm. Ela tem gostos bem definidos, adora musica, artes, refinamento e crianças.
A mulher Ártemis é a mulher que “inventou” a si mesma. Criou seu trabalho por saber arquitetar aquilo que deseja fazer, seja dona de seu próprio negócio ou trabalhando como empregada em uma instituição ou incorporação, sabe ajustar suas necessidades básicas onde quer que esteja e fazendo o que escolheu fazer - aí reside a mestria da mulher de negócios Ártemis.  Ela não “vendeu sua alma” ao patriarcado, assim com fez sua irmã Atena.
Ártemis tem uma consciência feminina bem desperta e em equilíbrio com seu aspecto masculino consciente, ou seja, Yin e Yang em harmonia.
Seu sucesso profissional depende de sua perspicácia, sua habilidade em trazer à tona o tesouro do feminino nos negócios - este é seu ponto forte.
A energia de Ártemis pede que as mulheres sejam congruentes, adequadas, harmoniosas e principalmente descompromissadas de tudo aquilo que não colabora com o processo evolutivo. Ela pede que consideremos os valores que refletem nossas ações. É astuta, consciente e honrada.
A Mulher Ártemis é extremamente prática, aprende muito rapidamente e é educada, sincera e bem resolvida. Seus valores são bem estabelecidos, são valores de uma humanista que honra o precioso planeta e toda a vida sensível, honra a Grande Mãe Cósmica e a magnificente beleza no planeta terra.
Preservação e evolução são preocupações de maior importância para a mulher Ártemis.
Embora seja freqüentemente tímida e reservada em ambientes sociais e profissionais, uma mulher Ártemis, se necessário for, irá levantar sua voz e desafiar aqueles que fizerem abordagens arrogantes, sobre a supremacia e a dominação patriarcal.
Qualquer demonstrativo que deprecie o Feminino ou o princípio da procriação, ou qualquer outra demonstração de desrespeito, vai ser simplesmente inaceitável para ela.
Representa o protótipo divino da mulher moderna. Ela é o que as mulheres aspiram para quando alcançarem um nível inovado de integridade pessoal, de auto-entendimento.
Ela representa uma maturidade feminina que entendeu como ser cuidadosa e zelosa ainda assim, mantendo seu equilíbrio interior. É a que promove o despertar da anima, o aspecto do ser que é essencialmente feminino - colabora como o resgate ou a recuperação da ALMA.
O medo da mulher Ártemis pode ser o medo da autoconfrontação. Quando este medo é vencido e ela acostumar com o processo de resgatar-se a si mesma, irá então florescer, desabrochar e prosperar internamente, dentro de um espaço reservado em sua ALMA. Ao atingir este estágio, estará curada e terá se tornado forte, de dentro para fora. Então, sua criatividade irá ser uma expressão de seu poder pessoal.
Ártemis é o protótipo que exalta a auto-suficiência feminina - é uma terna e doce zeladora de todos que até ela se acheguem, em busca de ajuda para o desenvolvimento da maturidade pessoal; só não tem muita paciência com aqueles que se mantêm infantilizados, ou aqueles que se mantêm dependentes, ou eternos carentes insaciáveis de afeto e amor, quando adultos. 
Seu ensinamento,  diz que o mistério pessoal,  é baseado em sabermos como lidar e administrar as  nossas emoções.
Tradução - Angels and Archetypes -  de Carmen Bouter 

Vera Lucia Guedes
Imagens: Arquivo pessoal e Google.

2 comentários:

Claudia disse...

Querida Vera!
Adoro o jasmim e parabéns pela bela postagem...bjs

Vera Guedes disse...

Olá Claudia, obrigada por registrar sua msg sobre o Jasmim. Eu tb o amo profundamente, não são todas as pessoas que apreciam seu óleo. Ele vai fundo no campo das emoções, quem não o aprecia, certamente tem um cantinho reservado em sua consciência repleto de emoções não resolvidas, só na espera...
Feliz ano novo sempre. Abraço com carinho.